Domminatrix Augusta Bar – 1° happy hour com Mistress Charlotte 

Algumas fotos dessa última quarta-feira. Para quem perdeu o próximo HH com Mistress Charlotte, será dia 15/03 (quarta). Programe-se e venha bater um papo comigo sobre bdsm, fetiches com muitos drinks, comidinhas e apresentação de dança burlesca com a Núbia del Fuego.

Inversão de Papéis – Role Reversal – Livre-se dos seus tabus

 

Do ponto de vista sexual, a inversão de papéis refere-se a uma mulher que penetra em um parceiro masculino usando um consolo de cinta, chamado strap-on. Embora a inversão de papéis refere-se ao parceiro do sexo feminino realizar ao invés de receber a penetração, ele também pode se referir a uma parceira assumindo um papel mais ativo e dominante no sexo.

strap on role reversal

O mercado oferece uma grande variedade de brinquedos usados ​​para essa prática. Estes geralmente são projetados para aumentar o conforto e o prazer de ambos os parceiros. Por exemplo, as mulheres podem usar uma cinta “sem alças” para penetrar no homem, chamado strap-less. Isso implica inserir um vibrador na vagina e usar a extremidade externa do brinquedo para penetrar no homem.

strapless bdsm inversaostrapless bdsm inversao de papeis

Alguns brinquedos anais masculinos são exclusivamente curvos para alcançar facilmente e estimular a prostata. Diferentes tamanhos, texturas, materias cada qual com a sua finalidade, jeito correto de usar e higienizar.

 

 

 

Livre-se dos tabus! Entregue-se aos seus fetiches!

 

 

 

 

 

 

O fetiche está no dia a dia, está em toda a parte. 



O fetiche está no dia a dia, está em toda a parte. O que te dá um arrepio na espinha? Oque mexe com você, quais os seus segredos e sentimentos mais profundos? Os meus eu sei, com sorte você saberá também. E irá se render a todos eles…

*

The fetish is in the day by day, it is everywhere. What shivers your spine? What moves you, what are your deepest secrets and feelings? I know my ones, with luck you’ll know too. And will surrender to them all…

✈Em São Paulo até 18 de março. 19 a 26 Rio de Janeiro. Abril NYC. Maio SP. Em outubro Porto Alegre.
#dommerj #dominadorarj #dominadorasp #brazilianmistress #mistressnyc #dominatrix #dominadoraprofissional #prodomme  #femalesupremacy #fetish #latex #latexfetish #latexmistress #yesmistress #femmefataly #femdomme #altmodel #alternativemodel #bdsm #podolatria #pés #worshipme #feetworship #godness #queen
Photo: @patriciaretamero_ph

#TBT – Dominação e Submissão – O que é ser Domme?

 

Há uma boa distância entre a vontade de ser uma domme e em ser realmente uma domme. Bobagem. Dommes dizem às pessoas o que fazer; essa é a definição! Na verdade, não. É preciso muito mais do que isso para ser uma domme, vai muito além de simplesmente dizer às pessoas o que fazer. Isso qualquer um pode fazer.

O contexto é importante;  uma domme não é somente ser mandona, e ninguém consegue dizer a todos o que fazer o tempo todo.

O primeiro grande erro mais comum entre novatos é acreditar que a dinâmica de relacionamento D / s seja simples. Exemplo: Você é uma domme; você vê alguém que é um sub; e acredita que enquanto domme, o seu lugar de direito é dizer ao sub o que fazer, e como um sub, essa pessoa deve lhe respeitar, certo?

Mais ou menos. Para começar, se você quer respeito, você tem que fazer muito mais do que dizer “eu sou uma domme, adora-me!” De fato, dizendo: “Eu sou uma domme, adora-me!” É uma boa maneira de ser ridicularizada por qualquer um que tenha alguma experiência em relacionamentos reais D / s.

Mesmo que seja temporário, existe uma relação entre a dominante e o submisso por ambos terem feito essa escolha.

sessão virtual, dominadora profissional, prodomme, dominatrix, mistress, findom, bdsm, fetiche, fetish, podolatria, feet worship, dominadora profissional sp, prodomme sp, dominatrix sp, mistress sp, findom sp, bdsm sp, dominadora profissional rj, prodomme rj, dominatrix rj, mistress rj, findom rj, bdsm rj, prodomme ny, dominatrix ny, mistress ny, findom ny, bdsm ny, prodomme nyc, dominatrix nyc, mistress nyc, findom nyc, bdsm nyc, financial domination, money slavery, dominação financeira, femdom art, dominação virtual, virtual domination, financial exploratio, financial domination, money slavery, money slave. patricia retamero, leather fetish

Agora, espere um minuto, aqui. Subs são submissos, porque eles querem se submeter a uma domme!

Sim. Mas isso não significa que qualquer submisso particularmente quer submeter-se a você! Partindo do princípio de que alguém quer se submeter a você simplesmente porque essa pessoa é “submissa” é exatamente como supor que: uma mulher heterossexual gostaria de ter sexo com qualquer homem, porque ele é um homem heterossexual (ou vice-versa).

Mas todos os submissos devem respeito aos dominantes: Sim, porém é a postura da domme que será naturalmente percebida superior. E isso não se impõe. O respeito no geral é ganhado. Acreditando que você tem direito a ele, simplesmente em virtude do fato de você chamar-se por “domme”. Está errado.

Eu não entendi. Se alguém não quiser ser dominado, por que essa pessoa é um submisso?

Mais uma vez, trata-se de contexto. Essa pessoa pode muito bem querer ser dominada, e pode até querer ser dominada por você, talvez, mas até você descobrir o que a pessoa quer, não faça suposições. E, principalmente, não fazer suposições sobre o que a pessoa quer ou precisa, ou como essa pessoa “deve” interagir com você.

Quando alguém descobre um interesse no BDSM, pode ser fácil cair em uma mentalidade fantasia-realização. Você tem idéias sobre como você gostaria que fosse e que tipos de coisas que você gostaria de explorar, você tem fantasias, você tem coisas que você realmente quer fazer, por isso pode ser tentador para você encaixar todos os submissos que encontrar em suas próprias fantasias . Quando você parar de se relacionar com pessoas como pessoas e começar a se relacionar com eles como objetos de fantasia-realização, você pode esperar para ter problemas.

O que você está falando? Eu sou uma Domme. Essa pessoa é um sub. É claro que há um relacionamento de troca de poder! Sim, mas você não ganha automaticamente o poder por ser uma domme; um submisso dá-lhe esse poder. É a entrega. Não é seu por direito. Este é um dos pilares básicos de consentimento. O sub lhe concede poder por consentimento, e não pelo simples fato de ser um submisso.

Resumindo: Não assuma que alguém lhe concedeu o poder só porque você é um dominante e essa pessoa é um submisso.

 

 

 

Segunda parte: Nem todo submisso quer as mesmas coisas. Nem todos os submissos interagem com uma dominante da mesma forma. O submisso sábio e psicologicamente saudável não se submete indiscriminadamente a todas que a si mesmas chamam de “dommes”. Ninguém tem o direito de dominação automática!

Deverá ser decidido mutuamente que tipo de relação de poder irão estabelecer.

Ok, ok, eu entendo o ponto. O que agora?

A próxima parte a entender é que, como um dominante, cabe sim a você fazer o que quiser dentro dos limites do senso comum e os limites negociados com o seu parceiro.

Aí sim! Let’s play!

 

repost de abril/2015

Confraria das Dommes – Edição Rio de Janeiro | março 2018

prodomme rj, prodomme Rio de Janeiro, domme RJ, Domme Rio de Janeiro, Dominadoras RJ, Dominadoras profissionais RJ, Mistress RJ, Mistress Rio de Janeiro, Dominatrix RJ, Dominatrix Rio de Janeiro, Festa Fetichista RJ, BDSM Rio de Janeiro, BDSM RJ, Podo RJ, Podolatria RJ, Podolatria Rio de Janeiro, Sessão de Podo RJ, Sessão de podolatria RJ, Rainha Dominadora RJ, Rainha Dominadora Rio de Janeiro, Fetish Party RIo, Fetish Party RJ, Fetish Party Rio de Janeiro, Femdom Rio, Femdom Rio de Janeiro, Dommes cariocas, alfa female,

2018 promete!!!

Aguardando os e-mails para seleção de escravos, tanto para a Festa Femdom que realizaremos como também para o agendamento de sessões. Garanta o seu lugar e valores especiais para participar da Confraria!!! Confiram todas as informações abaixo:

*Apenas reservas antecipadas!!!!

*Pagamento via pagseguro

*Horários limitados

Seja avaliado clicando aqui —– >>>>

 

AGENDA DA CONFRARIA – MARÇO 2018 EDIÇÃO RIO DE JANEIRO
ENCONTRO FEMDOM – CONFRARIA DAS DOMMES EDIÇÃO RIO DE JANEIRO – 25/03
VALORES DA ENTRADA PARA O ENCONTRO FEMDOM
Horário: 12:00 às 0:00
Local: Será informado até o dia 17/03

com
MISTRESS CHARLOTTE
MISTRESS MONIQUE
MISTRESS ELIS

1º Lote até dia 31/01 150,00
2º Lote do dia 01/02 até 28/02 200,00
3º Lote do dia 01/03 até 15/03 250,00
No dia da festa *sujeito a lotação 300,00

* Bebidas a parte.

Obs:
Esse valor de entrada é referente a entrada na festa. Sessões privativas consultar valores.

Oque vai rolar na festa?

  • Podolatria
  • Servidão
  • Femdom Life
  • Tease and Denial
  • Mobiliário Humano
  • Smoking Play

 

JANTAR FEMDOM – CONFRARIA DAS DOMMES EDIÇÃO RIO DE JANEIRO 24/03

Horário: à partir das 19:00
Local: Será informado até o dia 17/03

com

MISTRESS CHARLOTTE
MISTRESS MONIQUE
MISTRESS ELIS

VALORES DA ENTRADA PARA O JANTAR FEMDOM
1º Lote até dia 31/01 150,00
2º Lote do dia 01/02 até 28/02 200,00
3º Lote do dia 01/03 até 15/03 250,00
No dia da festa *sujeito a lotação 300,00

Iremos fazer um jantar Femdom para poucos subs, aliás os subs irão fazer um jantar para nós! Menu a nossa escolha. Após o jantar permanecerão nos servindo.

Para sessão apenas no espaço individual que cada uma de nós terá o valor é pago a parte.
Reino Mistress Charlotte
Reino Mistress Elis
Reino Mistress Monique

SESSÕES INDIVIDUAIS VALOR DIFERENCIADO PARA O DIA DA FESTA E JANTAR FEMDOM. CONSULTAR POR EMAIL

SESSÕES COM MISTRESS CHARLOTTE E / OU MISTRESS MONIQUE – 19/03 a 24/03
Horário: à partir das 10:00 horas.

Local: Será informado até o dia 17/03

VALORES APENAS POR EMAIL: mistresscharlottek@gmail.com

Seja avaliado clicando aqui —– >>>>

IMPORTANTE:

Todos os escravos estão sujeitos a avaliação prévia através do formulário que deverá ser preenchido no meu site.

 

confrariadasdommes@gmail.com
mistresscharlottek@gmail.com

Instagram:
@ mistresscharlotte
@ mistressmoniquemaud
@ mistresselis

 

 

​A importância do SSC – por Verena Isaack

Você deve saber o que é SSC, certo? Todo praticante de BDSM tem que saber o significado dessas 3 letrinhas.

Para você que ainda não sabe e tem curiosidade na prática, S = Sadio S = Seguro C = Consensual.

Isso é importante para manter a saúde física e mental dos participantes e para que as pessoas possam entender e aceitar os limites, umas das outras.

Quando não existe esse acordo, sim um acordo prévio deve ser feito antes da prática, não é prática de BDSM;

Quando não existe esse acordo, pode-se colocar vidas em risco.

Quando não existe esse acordo, pode ser apenas violência de uma parte para outra, pois se não é consensual, é estupro.

 Então, vamos lá! Quer começar a praticar, converse com alguém que tem mais experiência que você e seja sério no meio; a Charlotte é uma ótima pessoa para isso. 

Busque alguém com experiência para te ensinar as práticas possíveis e existentes e que consiga te ajudar a criar um SSC que possa ser compreendido, mesmo que você não possa falar e nem se mover.

Praticantes experientes de BDSM tendem a ter maior sensibilidade com seus parceiros para que tudo saia como o planejado; sim, é ótimo planejar o que será feito!

Apenas para ilustrar a importância do SSC, vou contar uma história que aconteceu na Inglaterra há alguns anos, dentro de uma casa de práticas diversas. Um homem que nunca tinha tido experiência sexual e era muito tímido, olhou todas as práticas existentes na casa (não existiam apenas praticantes de BDSM, existiam vários tipos de prática, incluindo a prostituição básica). O homem escolheu uma dominatrix que o colocou em um catsuit (macacão) de latex e ainda o prendeu com uma camisa de força de latex e o amordaçou com um ball gag. O SSC não foi previamente combinado ou ela não soube ler quando ele fez ou ele não fez, isso até hoje ninguém sabe direito. O homem tinha uma terrível alergia a latex e teve um choque anafilático e morreu ali, na frente da dominatrix.

Histórias como essa acontecem e não são raras.

Se o SSC for combinado previamente, como deve ser e utilizado quando um dos praticantes chegou ao seu limite (normalmente quem é submisso), a prática do BDSM, qualquer que seja ela, tende a ser libertadora, enriquecedora e muito prazerosa.

Busque sempre o máximo de informação antes de fazer ago que nunca fez, em tudo em sua vida.

Por Verena Isaack (sex coach, palestrante e proprietária da Concept Xshop Just Lust )

Castidade masculina – porque sim?

 (foto ilustrativa)

Em quais níveis a castidade masculina é tão prazerosa para os homens (sim, é!) e porque disso? 

Fatos sobre a castidade, a libido, o orgasmo masculino entre outros comportamentos que venho observando. E conversas com meus subs e com amigas, me levaram a uma pesquisa detalhada e a formação de uma opinião pessoal sobre o assunto. Claro que existem muito mais a respeito e também opiniões diferentes. Eu quero “ouvir” os comentários depois! Enjoy it!

A LIBIDO

A libido masculina e feminina parecem trabalhar um pouco diferentes, a nível biológico. A libido masculina tende a ser construída gradativamente ao longo do tempo por conta própria, mesmo na ausência completa de estímulos sexuais, quanto mais tempo ele fica sem ejaculação (orgasmo), eventualmente chegará em um “pico”, um ponto que parece variar de acordo com a idade e a saúde em geral – a genética e os níveis de testosterona provavelmente contam.

MASTURBAÇÃO 

O que a maioria dos caras fazem quando começa a sentir aquela vontade? Bem, a maioria parte para a masturbação. Fato descoberto muito antes de se tornarem sexualmente ativos.

ORGASMO

Então – o orgasmo masculino faz liberar uma agradável e gostosa mistura de ocitocina e dopamina (o “hormônio de ligação” e “hormônio do prazer” em geral, respectivamente), e bummmm! Mas… em algum lugar ao longo do caminho, tadinhos (só que não, rs); eis que a natureza do homem seleciona pra eles um freio, dessa adorável sensação orgásmica, através de um hormônio chamado prolactina.

ENTENDENDO OS HORMÔNIOS 

A prolactina é despejada pelo cérebro logo após o orgasmo masculino, e suprime diretamente a ocitocina e a dopamina. Esta é a principal razão pela qual o orgasmo peniano típico dura apenas cerca de dez segundos (se tiverem sorte), e é também a origem do período refratário do sexo masculino.

PROLACTINA: A VILÃ

Então, qual é o problema? O grande problema é que a prolactina leva mais tempo para ser reabsorvida pelo organismo do que a dopamina e ocitocina. E suprime esses dois hormônios. Então o cara acaba num estado onde ele tem muita prolactina, resultando em uma dose persistentemente baixa dopamina e oxitocina, que o faz sentir-se uma porcaria.

O que eles fazem uma situação como esta? Bem, a maioria dos caras, provavelmente, fazem a mesma coisa que os fez sentir bem da última vez – masturbação ! E começam uma outra busca do mix de dopamina e oxitocina – mas o seu cérebro também despeja mais prolactina em seu sistema. Aí lá vão novamente… Várias vezes num ciclo, tentando parar de se sentir um lixo e cada vez, apenas aumenta o problema. Eles literalmente se tornam um viciado em drogas, e o negociante é o seu próprio cérebro.

CASTIDADE

O que a castidade masculina faz (com ou sem um dispositivo) é jogar uma chave de macaco nesse ciclo vicioso. Dando uma pausa longa o suficiente do orgasmo, o cérebro, eventualmente, reabsorve toda essa prolactina, permitindo que os níveis de dopamina e oxitocina voltem ao normal. Isso é bom – tão bom, na verdade, que a maioria dos homens que tentam a castidade longo prazo acabam declarando eles preferem essa experiência, ao invés de alguns breves momentos fugazes. 

Eles ainda podem ter relações sexuais, orgasmos consentidos com x frequência, limitado por sua parceira, que irá controlar o número de vezes que ele poderá chegar ao orgasmo e de qual forma irá acontecer. E o melhor, oque ele terá de fazer pra merecer.

Isto pode ser muito vantajoso para as mulheres, que normalmente têm o problema oposto: não recebem orgasmos suficientes. A castidade masculina parece resolver esses dois problemas. É como entrar num jogo de excitação e controle, muito prazeroso para ambos os lados, se bem conduzido. Legal né?

Eu particularmente adoro a castidade, como já disse em outro post, sempre me deu muito prazer deixá-los sob a negação e sofrendo, e decidir quando e como terão algum tipo de prazer ou….. nenhum ! Essa para mim é a maior entrega de um escravo! Mesmo sendo a castidade controlada isoladamente de outras práticas, ou somadas a práticas de cuckold, Sissys ou outras. Não importa, vamos deixar os fetiches e a imaginação fluir!

Mas só funciona se você for honesto e não se enganar. Se você está se sentindo tentado, precisa dizer a sua keyholder, assim ela poderá ajudá-lo a encontrar maneiras, de passar pela parte mais difícil (que é o pico descrito anteriormente).

Precisa ser honesto consigo mesmo e muito!

Parafraseando, mas de minha autoria:

“O verdadeiro significado de estar sendo dominado por uma mulher inteligente e poderosa é, que você será capaz de explorar com muita profundidade os sentimentos que o acompanham.”

Acredito ser esse o conceito para o início de qualquer contato em qualquer que seja o fetiche….

Enfim, só posso ser honesta também:

Acredite em mim, isso vai ser difícil. A castidade controlada será uma das coisas mais difíceis que você já fez, na verdade – você está tentando quebrar um caminho de recompensa que tem sido continuamente reforçado, quase todos os dias de sua vida desde a puberdade.

Pergunte-se é isso que eu desejo? Então vá em frente e descubra os seus limites!
Algumas das fontes de pesquisa:

http://www.abril.com.br/noticia/comportamento/orgasmo-dura-10-segundo-media-391165.shtml

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ejaculação

http://www.vilamulher.com.br/sexo/hormonios-e-prazer-26998.html