Tag: dominadora profissional Brasil

Primeira sessão no meu estúdio Femdom House Br – Sissy Training

Lembrando que todas as fotos são consensuais! Venho compartilhar com vocês um pouquinho do que rolou na primeira sessão no meu estúdio Femdom House Brasil.

Convidei a Diva Mistress Mahara para se divertir também e ajudar no treinamento dessa Sissy pra lá de assanhadinha. risos. qie fez o tipo tímida mas no final se revelou.

A primeira coisa: assim que a sissy chegou já foi para a gaiolinha (cinto de castidade), isso precisa ser feito antes de mais nada, para que logo de cara já saiba o porque estava ali e quem assume o controle dali em diante. Em seguida, mandei que tirasse aquelas roupas inapropriadas e olhasse o presentinho dela em cima do sofá. Uma lingerie rosa a cor favorita da cadelinha. Feito isso, comecei a com a montagem, para que quando minha amiga chegasse a Sissy já estivesse pronta, até então cadela vira lata sem nome… Para ridiculariza-la o look foi escolhido a dedo. Quem sabe a próxima ela será vestida de forma mais elegante, que particularmente eu gosto mais. Por enquanto não merece. rs

Eu e Mahara, nos divertimos muito com a cadelinha, com spanking para ela aprender a não atrasar e para aprender a rebolar direito. Rolou tortura nos mamilos, tapas na cara, a fizemos a cadelinha desfilar e óbvio demos muitas mas muitas risadas do seu pauzinho (que como a Mahara achou mais parecia um grilo de tão pequeno rs)… cuspes simplesmente porque gostamos mesmo de humilhar vadias desse tipo. ah com direito a gag na boca também. Imaginem que divertido tudo isso???

A parte mais marcante foi o treinamento com dilatação anal e ensinamos a cadela a chupar uma rola, um dildo na boca e dilatação anal no rabinho ao mesmo tempo hahaha eis que ela fica toda assustada em ser arrombada e diz não aguentar, mas no final implorou por uma rola 3 x maior que o plug, vai entender essas vadias que fazem o tipo boa moça recatada  kkk

Implorou fininho e de joelhos para sentar na rola, até que deixamos e estou rindo até hoje das perninhas dela tremendo e sentando, acha que é fácil é? hahaha Mas não tem problema não que a gente ensina……….

ah e agora a cadela vira lata tem um nome, Susy assanhadinha hahahahaha

 

 

#TBT – Dominação e Submissão – O que é ser Domme?

 

Há uma boa distância entre a vontade de ser uma domme e em ser realmente uma domme. Bobagem. Dommes dizem às pessoas o que fazer; essa é a definição! Na verdade, não. É preciso muito mais do que isso para ser uma domme, vai muito além de simplesmente dizer às pessoas o que fazer. Isso qualquer um pode fazer.

O contexto é importante;  uma domme não é somente ser mandona, e ninguém consegue dizer a todos o que fazer o tempo todo.

O primeiro grande erro mais comum entre novatos é acreditar que a dinâmica de relacionamento D / s seja simples. Exemplo: Você é uma domme; você vê alguém que é um sub; e acredita que enquanto domme, o seu lugar de direito é dizer ao sub o que fazer, e como um sub, essa pessoa deve lhe respeitar, certo?

Mais ou menos. Para começar, se você quer respeito, você tem que fazer muito mais do que dizer “eu sou uma domme, adora-me!” De fato, dizendo: “Eu sou uma domme, adora-me!” É uma boa maneira de ser ridicularizada por qualquer um que tenha alguma experiência em relacionamentos reais D / s.

Mesmo que seja temporário, existe uma relação entre a dominante e o submisso por ambos terem feito essa escolha.

sessão virtual, dominadora profissional, prodomme, dominatrix, mistress, findom, bdsm, fetiche, fetish, podolatria, feet worship, dominadora profissional sp, prodomme sp, dominatrix sp, mistress sp, findom sp, bdsm sp, dominadora profissional rj, prodomme rj, dominatrix rj, mistress rj, findom rj, bdsm rj, prodomme ny, dominatrix ny, mistress ny, findom ny, bdsm ny, prodomme nyc, dominatrix nyc, mistress nyc, findom nyc, bdsm nyc, financial domination, money slavery, dominação financeira, femdom art, dominação virtual, virtual domination, financial exploratio, financial domination, money slavery, money slave. patricia retamero, leather fetish

Agora, espere um minuto, aqui. Subs são submissos, porque eles querem se submeter a uma domme!

Sim. Mas isso não significa que qualquer submisso particularmente quer submeter-se a você! Partindo do princípio de que alguém quer se submeter a você simplesmente porque essa pessoa é “submissa” é exatamente como supor que: uma mulher heterossexual gostaria de ter sexo com qualquer homem, porque ele é um homem heterossexual (ou vice-versa).

Mas todos os submissos devem respeito aos dominantes: Sim, porém é a postura da domme que será naturalmente percebida superior. E isso não se impõe. O respeito no geral é ganhado. Acreditando que você tem direito a ele, simplesmente em virtude do fato de você chamar-se por “domme”. Está errado.

Eu não entendi. Se alguém não quiser ser dominado, por que essa pessoa é um submisso?

Mais uma vez, trata-se de contexto. Essa pessoa pode muito bem querer ser dominada, e pode até querer ser dominada por você, talvez, mas até você descobrir o que a pessoa quer, não faça suposições. E, principalmente, não fazer suposições sobre o que a pessoa quer ou precisa, ou como essa pessoa “deve” interagir com você.

Quando alguém descobre um interesse no BDSM, pode ser fácil cair em uma mentalidade fantasia-realização. Você tem idéias sobre como você gostaria que fosse e que tipos de coisas que você gostaria de explorar, você tem fantasias, você tem coisas que você realmente quer fazer, por isso pode ser tentador para você encaixar todos os submissos que encontrar em suas próprias fantasias . Quando você parar de se relacionar com pessoas como pessoas e começar a se relacionar com eles como objetos de fantasia-realização, você pode esperar para ter problemas.

O que você está falando? Eu sou uma Domme. Essa pessoa é um sub. É claro que há um relacionamento de troca de poder! Sim, mas você não ganha automaticamente o poder por ser uma domme; um submisso dá-lhe esse poder. É a entrega. Não é seu por direito. Este é um dos pilares básicos de consentimento. O sub lhe concede poder por consentimento, e não pelo simples fato de ser um submisso.

Resumindo: Não assuma que alguém lhe concedeu o poder só porque você é um dominante e essa pessoa é um submisso.

 

 

 

Segunda parte: Nem todo submisso quer as mesmas coisas. Nem todos os submissos interagem com uma dominante da mesma forma. O submisso sábio e psicologicamente saudável não se submete indiscriminadamente a todas que a si mesmas chamam de “dommes”. Ninguém tem o direito de dominação automática!

Deverá ser decidido mutuamente que tipo de relação de poder irão estabelecer.

Ok, ok, eu entendo o ponto. O que agora?

A próxima parte a entender é que, como um dominante, cabe sim a você fazer o que quiser dentro dos limites do senso comum e os limites negociados com o seu parceiro.

Aí sim! Let’s play!

 

repost de abril/2015

Sessão em Brasília – Domme enfermeira e paciente

Fotos da sessão em Brasília. Meu paciente ficou a tarde toda sendo examinado e me servindo com esse fetiche delicioso de Medical play.

image

image

image

O motel que escolhi, com a suíte sado claro, rolou muito Ass play, bondage, entre outras coisitas más! Olha as fotos da minha mesa, e do enema que fiz no rabinho dele!

image

image

image
image
Malinha recheada! Hehehe

image

Prontinha esperando meu paciente. Essa roupa em látex by Just Lust sexshop. Amo ❤

e depois pra fechar chamamos a Beatriz. Uma linda transex acompanhante.

image

image

image